Posted in Portuguese

Richtaldi

Here’s a series of three Portuguese Writestreak texts about m’wife’s birthday treat, with notes at the bottom. (thanks to eqdif, gws-lthrowaway and Dani. Morgenstern for the tips)

Part 1 (Wednesday)

Victoria sponge cake with strawberries and cream
The Cake

A minha esposa faz anos hoje. Ela nasceu umas semanas antes de mim, por isso tenho uma oportunidade de brincar com ela por causa da sua grande idade a cada ano que passe, durante o intervalo entre o aniversário dela e o meu.

A nossa filha fez um bolo com morangos e recheio que foi mil vezes melhor do que qualquer bolo que eu já tenha feito. Amanhã, planeamos assistir a um concerto no centro da cidade.

Part 2 (Thursday)

Hoje à noite vamos assistir um concerto que vai ter lugar numa igreja. Numa igreja? Sim, a igreja de St Martin in the Fields fica na praça Trafalgar no centro de Londres e além de ser uma igreja tradicional, foi bem conhecida nos anos oitenta e noventa pelo seu apoio a pessoas sem abrigo que havia naquela zona e naquela altura.

Hoje em dia é mais famosa pelo programa de concertos apresentados no edifício e os seus arredores. A minha esposa quer ouvir As Quatro Estações de Vivaldi, recompostas por Max Richter. Confesso que não faço a mínima ideia como uma música composta por um italiano em meados do século XVIII* pode ser recomposta por um alemão qualquer no  século atual. Ou é as Quatro Estações de Vivaldi ou é uma obra nova… Mas o que sei eu? Sou um gajo inculto que não sabe nada.

Part 3 (Friday)

Como já disse ontem, fomos juntos à igreja de St Martin in the Fields (cujo nome significa São Martinho nos Campos… Hum… Aqui vem uma digressão: a igreja é dedicada ao São Martinho de Tours na França. Quando a Igreja original foi construído naquele sítio na idade média, ficava fora do muro, e fora do que naquela altura era Londres, num campo, e ainda hoje retém o “in the fields” por causa disso, apesar de Londres ter crescido de tal modo que a igreja fica no centro da cidade atual, ao pé da coluna de Nelson e perto do palácio e do parlamento)

Hum… Onde é que eu estava? Pois, enfim** chegámos a horas e sentámo-nos na primeira fila ao pé (ou seja “ao cotovelo”) dos músicos. Estava tão perto dos violinistas que os podia ter lambido se me apetecesse, mas não os lambi porque teria sido uma asneira. A música era bonita e, lá dentro da igreja, o ambiente combinou-se com o som para produzir efeito mesmo arrebatador.

O homem na fila atrás da minha ficou entusiasmado e perdeu controlo da língua. Andava a dizer “Vibes” repetidamente. Não vou tentar traduzir, mas basta dizer que era um hipster chato***. Eu não liguei mas as senhoras estavam perto de o estrangular com uma máscara anti-covid.

Infelizmente eu e a minha filha estávamos cheios de sono mas não importou muito. Às vezes, estar com sono num espectáculo é agonia, mas a hora voou e em breve estávamos na rua e a caminho para casa.

Inside St Martin in the Fields after the performance of The Four Seasons by Vivaldi, recomposed by Max Richter
Inside St Martin’s

* I think it was quite early in the century, actually, I just like “em meados de…” for some reason.

** This possibly isn’t a great choice. The corrector remarked that it sounded negative since ” ‘enfim’ está muito associado a suspiros” but it’s not grammatically incorrect so I’m leavin’ it!

*** I originally wrote “um hipster sem senso” intending to convey that he is utterly senseless, but when I did my usual thing of copying my Portuguese into gtranslate, it translated it as “a no-nonsense hipster”. Say what now? I usually use gtranslate as a way of checking my first drafts. If it comes up with a really surprising translation that’s a good indicator that I’ve picked the wrong word, or made a typo, or that predictive text has changed an “e” to an “é” yet a-bloody-gain, but it has its limits of course and I think this is just a flat-out mistake. These things are usually built by analysing real translations by real translators. If you look up “sem senso” in linguee, it only has one example of “sem senso” on its own (as opposed to something like “sem senso comum”), and I can’t see the wider context but I think the translator has made a poor choice.

This is probably what’s led to gtranslate translating it that way. But that’s OK, because I’ve learned something: the fact that there are so few examples tells me is that “sem senso” is obviously not used in Portuguese. What could I have said instead? Sem senso comum? Nah. Sem sentido? Maybe but it makes me think he has no sense of taste smell touch etc, rather than that he is just a moron, so I decided to describe him as “chato” (annoying) instead.

Author:

Just a data nerd

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s