Posted in Portuguese

Diogo Bataguas

Tentei ver um vídeo de Diogo Bataguas há anos mas não entendi patavina. Hoje de manhã experimentei mais uma vez, com o link sugerido pela Dani.

Consegui entender muito mas continuo a não achar engraçado porque ele fala tão rapidamente que os meus ouvidos mal conseguem decifrar as palavras antes de ele começar a a próxima frase e daí a diante, ando atrás da piada à espera de perceber o humor. Mas temos um ditado em inglês “O segredo da grande comédia é…. Hm… Como se diz ‘timing’*? Tempo? (Hm… Piadas tem mais graça quando o sol está a brilhar?) Sincronização? Acho que não. ‘temporização’? ‘cronometragem’? Pois… O meu problema é que, ainda que entenda as palavras, chego ao entendimento um meio segundo depois, e o humor fica estragado pelo atraso.

Tenho o mesmo problema com outros comediantes: Joana Marques (que aparece inesperadamente no vídeo), Salvador Martinha (estrela do primeiro programa português do Netflix, antes do Glória!), Bruno Nogueira e Mariana Cabral, entre outros. É frustrante.

Mas tenho ganas (ah ah, ainda estou a utilizar as frases de anteontem!) de rir com a comédia portuguesa, por isso continuo a experimentar vídeos de vez em quando. Um dia, vou conseguir!

*=There’s a very boring answer to this: they say “timing”. A couple of people pointed me to this Gato Fedorento sketch where a “javardola” (disgusting slob) seems elegant when he uses French words, but part way through he slips into using English words instead and doesn’t realise it. Timing is one of the words he uses.

Posted in Portuguese

Insónia

Na esmagadora maioria das noites, durmo muito bem. Leio durante 20 minutos* e tal até ficar cheio de sono e as minhas pálpebras ficarem pesadíssimas. Nessa altura, fecho a capa e coloco o livro na mesa de cabeceira na expectativa de sonhos bonitos.

I don’t even understand this one but I get the gist, I think.

Mas ontem à noite, o sono nunca veio. Esperei umas horas. A minha esposa chegou, deitou-se, adormeceu. As raposas ladraram. Olhei o despertador. Duas horas. Esperei mais. Senti me sonolento mas não consegui dormir. Três horas e meia. Fechei os olhos à espera de um pouco descanso.
Tocou o despertador.

Que chatice. Estava nos meus planos ir à piscina mas decidi ficar em casa. Vem mesmo a calhar que o concerto (Dulce Pontes) foi cancelado. Se assistisse um concerto neste estado eu adormeceria e a Dulce ficaria zangada por causa dos roncos.

*ainda bem que reli o texto. Tinha escrito “leio durante 20 anos”. Quem me dera!

Posted in English, Portuguese

Vontade, Desejo

This is a short text trying to fit in as many expressions of will, intention or desire as possible. The expressions are from the Camões Institute’s C1 course. Thanks to Dani for the corrections.

Está nos meus planos fazer uma corrida daqui a três semanas. Tenho ideias de melhorar o meu desempenho da última corrida. Morro de vontade de manter uma velocidade alta durante a corrida inteira. Não suporto (a idea de) que* os meus tempos possam voltar a ser de mais do que uma hora como nas corridas do verão passado. Fiquei eufórico quando corri dez quilómetros em 55 minutos em outubro. Claro que preferia correr ainda mais rápido! Tenho ganas de ganhar a corrida mas não é provável e no fim das contas, deliro com cada corrida na qual ultrapasso os meus limites. Um dia claro cairia muito bem, e viria mesmo a calhar** se houvesse um vento forte nas minhas costas. Queira Deus que o clima*** esteja bom porque morro de aborrecimento quando corro em condições cinzentas e ventosas.

*=”I can’t bear (the idea) that…” This construction needs a noun immediately after it and when the verb does come, it’s subjunctive.

**=”vir a calhar” is a weird one and I think I got it wrong in the original text. Calha is a gutter so I took “vir a calhar” as something negative but it’s more like “being channelled in the right direction” so, like “cair muito bem” it has a sense of things turning out well by good luck. There’s a ciberdúvidas article about the expression if you want to know more. Anyway, the long and the short of it is, I made such a mess of this sentence that the marker didn’t really get what I was driving at at all 😔

***=I wanted to write “o tempo” but since that means “time” as well as “weather” it seems like it would be super-confusing here! Clima is more like “climate” than weather of course, so it sounds a little bit off.

Posted in Portuguese

A Beleza da Simplicidade

O exercício de anteontem no meu curso de português avançado explicou um pequeno escândalo que ocorreu em 2012. Um filme intitulado “A Beleza de Simplicidade” foi premiado com a medalha de ouro num festival de turismo ecológico e logo depois uma sucessão de medalhas e troféus em concorrências publicitárias. Já vi o vídeo e é mesmo lindo.

Mas depois do filme ter ganhado os prémios, alguns espectadores com olhos de lince viram algo estranho. Há uma cena na qual a cidade de Lisboa é vista duma grande altura, mas havia uma avenida desconhecida com árvores de cada lado, visível de forma muito óbvia. Descobriu-se que uma secção da Rua Braancamp foi editada e repetida e várias outras pequenas edições foram juntadas à imagem para construir uma paisagem urbana mais atrativa do que a Lisboa verdadeira.

Tanto quanto eu sei, os prémios não foram hum… Despremiados??? Retirados? Revogados, digamos. Não foram revogados, mas há quem pergunte porque é que quiseram mudar a imagem da cidade? Lisboa não é assim tão feia.

Thanks to Dani Morgenstern for the corrections

Posted in Portuguese

A Banda das Três Ordens

Thanks to ThisCatIsConfused and Dani Morgenstern for corrections

Provavelmente já alguma vez viste alguma vez uma fotografia do presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de* Sousa ou um dos seus antecessores, vestido de modo formal durante uma cerimónia qualquer. Há um item muito curioso de roupa enfiado entre a camisola e o casaco: uma banda constituída por três faixas: uma roxa, uma vermelha e uma verde.

Presidente Marcelo Rebelo de Sousa e a Bandas das Três Ordens
Presidente Marcelo Rebelo de Sousa

Porque é que o presidente se veste assim? Tem a ver com o Natal**? O Senhor Rebelo de Sousa é um pres(id)ente que alguém vai desembrulhar? Espero que não. A banda é uma condecoração chamada A Banda das Três Ordens. Cada faixa representa uma das três antigas ordens monástico-militares: a de Cristo, de Avis e de Sant’Iago da Espada. As três ordens têm as suas raízes na idade média e o Grão-Mestrado de todas foi concedida à coroa portuguesa pelo*** Papa Júlio III. Após a implantação da República, no início do século XX, esta honra passou para a presidência após uma um intervalo de 8 anos (1910-18). Acho isso ligeiramente estranho: o povo rejeitou a monarquia mas reteve os sinais de uma estrutura ainda mais antiga e ainda mais obscurantista, mas talvez faça sentido: demonstra a continuidade do estado português e a sua autoridade, apesar do afastamento da monarquia…?

A banda foi concedida a vários outros chefes de estado estrangeiro ao longo dos anos, incluindo Francisco Franco da Espanha, a Rainha Isabel II, Hailé Selassié da Etiópia, é o Rei Leopoldo III da Bélgica mas a partir de 1962, a banda passou a ser exclusiva do chefe de estado português.

*=I wrote this with a capital D but that’s a no-no.

**=natal with a lower case n is also a no-no. Or a No-No.

***=pelo, not por. Not “By Pope Francis”, but “By the Pope Francis”

Posted in Portuguese

25 de Novembro

O dia 25 de Abril de 1974 é bem conhecido como o dia em que a ditadura Salazarista foi derrubada mas hoje é o aniversário dum outro dia 25, nomeadamente, o dia 25 de Novembro de 1975. Nesse dia, um movimento de forças armadas pôs fim ao Processo Revolucionário Em Curso, que parecia estar em rumo a uma ditadura de outra cor.

Crise de 25 de Novembro de 1975

Quanto mais leio sobre a década de setenta, mais admiro como Portugal saiu daquela época de transtorno e com uma democracia estável apesar de os extremistas de ambas as alas políticas querem controlar o país.

Posted in Portuguese

Alcina Lameiras

Tarot

Alcina Lameiras era uma personalidade televisiva durante os anos noventa. Há poucas informações sobre a carreira dela na Internet e ainda menos vídeos mas tanto quanto eu consegui constatar, ela… Dava notícias sobre o futuro através de… um telefonema…? O único vídeo que encontrei foi um anúncio promovendo uma linha telefónica que “funciona todos os dias a qualquer hora”. Não tenho certeza mas não acho que ela fosse uma apresentadora com o seu próprio programa mas apesar disso, a gente do Twitter lembra-se dela e uma pesquisa dá luz a posts de Guilherme Duarte e entrevistas com Fernando Alvim nos quais ela é mencionada. Como perguntou o Senhor Duarte, “O que é feito dela?”

Na mesma altura, cá na Inglaterra, havia um crescimento de tais charlatães devido ao decreto lei de 1993 que pôs fim à antiga tradição de queimar os bruxos. Tínhamos a nossa Mystic Meg mas acho que Alcina é lembrada com mais afeto.

Dani, who kindly marked this, tells me there’s was another tarot reader at the same time called Maya who was a bit more showy. Alcina was less self-aggrandizing so people look back on her as more genuine… insofar (and this is me editorialising now) as someone whose job is saying nonsense can ever be regarded as genuine.

Posted in Portuguese

Bird, Baby, Bird, Pisco Inferno

Lembras-te do pisco-de-peito-ruivo?
Depois de eu ter escrito o texto de ontem, o pássaro ficou ainda mais valente. Esvoaçou do topo da janela até ao candeeiro e daí de volta à cortina e pela janela fora. Que lata!

Robin
I mean, how heavy must he be to tip the lampshade like that?

Após algum tempo, levantei os olhos do portátil e lá estava o pássaro na estante a espreitar os livros. Até me engasguei. Bati as palmas para afastar o meu novo “inamigo”. Mas pelo menos somos ambos fãs de leitura. Talvez tivesse sido um bibliotecário numa vida passada. Há quem não acredite na reencarnação mas não negue à partida uma ciência que não conhece*.

* This is a reference to a TV psychic from the 90s called Alcina Lameiras. I’ll probably do a text about it in a day or two.

Posted in Portuguese

Pisco-De-Peito-Ruivo

Pisc-de-peito-ruivo (Robin)
O Pisco

Thanks for the corrections, Dani Morgenstern and Teafvigoli

Vivemos num apartamento no segundo andar e temos um alimentador de pássaros suspenso acima de uma janela.

Nos anos passados tivemos poucos visitantes. As vezes, um chapim-real faria um pausa no alimentador par comer umas sementes mas mais nada. Num certo ano um pombo lançou uma campanha de comer a ração toda ainda que fosse grande que fazia o alimentador balançar de uma maneira perturbadora, as suas tentativas foram muito divertido. Mas uma esmagadora maioria* de meses passaram sem atividade de lado de fora da janela. Os bolos de gordura permeneceram imbicados. Imbicados? É uma palavra? Pois, agora é.

De qualquer maneira, este ano, um pisco-de-peito-ruivo (também conhecido como pintarroxo, papo-ruivo ou papo-roxo) descobriu o alimentador. À manhã, das 8 para meio-dia mais ou menos, este passarinho aproxima-se à janela, pousa no alimentador, come alguma coisa, e descola na direção da janela. Bate no vidro com as asas e pernas e depois mergulha abaixo, desaparece durante uns minutos.

No início, achámos que o homenzinho queria entrar no apartamento. Mas após algum tempo começamos a perceber que o modo de bater na janela não era assim. Estava a ver o seu próprio reflexão e a interagir com o “outro” pisco, quer a tentar roubar-lhe as sementes, quer a atacar, não sei, mas os piscos são altemente territoriais.

Abri a janela e o comportamento da pisca mudou. Deixou de voar pelo espaço onde havia a janela. Em vez disso, pousa no beiral da janela para espreitar os livros e os móveis e a tralha dos humanos. Uma vez, ficou de pé num regador dentro da janela. Após um minuto, com a sua curiosidade satisfeita, virou-se e voou pela janela fora. É muito fofinho. Espero que isto continue, pelo menos durante algum tempo.

*=this phrase doesn’t really make sense here. It means “the overwhelming majority (of months)”. I just wanted to cram that esmagadora maioria in there somewhere.

Posted in Portuguese

Tense, Nervous Headache

Examples of high-octane verb usage based on a C1 exercise that I really screwed up.

Se ela não chegar, depois telefono-lhe.

Lamento que o seu filho não tenha ido à escola a horas na semana passada.

Não acho que a minha filha queira ir à escola hoje.

Caso ela venha tarde, a mãe dela preocupa-se.

Se ela vier tarde, a mãe dela preocupar-se-ás.

Quando for para a universidade ela terá passado os exames escolares todos.

Oxalá ele veja o filme francês que o professor deu como tpc mas acho que não está nada interessado.

Vou perguntar-lhe como se diz “LOL” em português

Se dissesses aos jovens de hoje que vivias num caixote sem água nem comida em* criança eles nunca acreditariam.

Se me disseres que estás a pensar em estudar apicultura, é garantido que faço um trocadilho qualquer sobre “exames de enxames”.

Há quem traga uma bandeira do UE para o concerto..

Ainda não sei se eles touxeram a amiga da filha com eles.

Apesar de ele já ter feito muitos pudins o de ontem não foi um êxito.

Será melhor se vocês beberem um copo de vinho e se esquecerem de tudo.

Diga eu ou que disser**, não me desatem deste mastro.

Ainda que ela ouça mal, está sempre ao pé de mim de cada vez que abro um saco de ração***.

Lamentamos que o senhor não tivesse pedido ajuda quando a cobra entrou no quarto.

Não repitas o que o pai disse na sala de aula.

Falas tão baixo. Podes repetir?

Ainda não faço ideia de quando ela parte para Edimburgo.

A picture that has nothing to do with Portuguese verb conjugations.
Tense nervous headache? Try conjugatin

*=em, not como. In child, not as a child.

**=I managed to get this doubly-wrong. I wrote “diga ou que eu dizer”

***=I wrote “lata de ração” but ração is dried food. Tinned cat/dog food is “comida de gato/cão”