Posted in Portuguese

Um Novo Podcast

Today’s daily text is about a book podcast in English. Thanks to danimorgenstern for the corrections

Backlisted podcast

Há algum tempo ouvia dois podcasts sobre livros: Bookshambles e Mostly Lit mas o segundo acabou quando um dos três apresentadores saiu para escrever os seus próprios livros. Depois, o primeiro deixou de falar sobre livros e fiquei aborrecido.
Mas ontem ouvi falar dum podcast interessante chamado Backlisted. Não é novo, apenas não tinha reparado nele antes. O seu arquivo tem montes de gravações sobre livros antigos que eu adoro tal como “A Month In the Country” de JL Carr e “The Dark is Rising” de Susan Cooper. Os apresentadores adoram livros e sabem tanto mas mesmo tanto sobre os autores dos quais falam. Estou a gostar muito!
Não conheço nenhuns podcasts portugueses semelhantes mas não me importa assim tanto porque existem Booktubers amadores que deixam opiniões sobre os seus livros preferidos e é aí que mato a minha sede livrólica!*

*=i originally tried to write this last sentence by splicing together two lines from two of the poems I’ve been learning by heart: “nele é que espelho o céu” (from Mar Português by Fernando Pessoa) and “Com luar matar a sede ao gado” (from Rústica by Florbela Espanca). It ended up as “nele é que mato a minha sede livrólica!” but I’d obviously bitten off more than I could chew!

Posted in Portuguese

Ikea

Another practice text. Thanks to redditor ansanttos for helping correct my mistakes

A minha filha e a minha esposa visitaram o IKEA hoje. Queriam comprar umas cortinas mas voltaram com 1 300 251 bolachas, 8 formas* de gelado, uma escovilhão de loiça, um candeeiro e várias flores e decorações inesperadas. Juro que aqueles suecos põem drogas nas almôndegas para hipnotisar os clientes e fazê-los comprar coisas de que não precisam.

*=ice cream moulds. I originally said “moldagens” here. I get so confused even over the English word give that there are jelly moulds and moulds that grow on old food and I always have to pause and think is mold is the right spelling for either? It’s not, it’s the American spelling of both but in UK English we don’t use mold at all. Anyway, forma is apparently the right word in Portuguese. but molde is also OK. Not moldagem (which is the act of moulding something) or moldura (a picture frame). And certainly not moulde. I’d like to blame the Americans for that last one but I can’t make the charge stick.

Posted in English, Portuguese

The New New Normal

Since “The New Normal” has been a theme today, here’s Sergio Godinho with a song of that name, written in August last year and containing obvious references to the long nightmare from which we hope we will soon awake (although I’m writing this the day after “Freedom Day” and I am regning in my optimism…)

Dadas as circunstâncias Given the circumstances
Mantenha as distâncias Keep your distance
Respeite os espaços Respect the spaces
Controle essas ânsias Control your urges
De beijos e abraços for kisses and hugs
Refreie as audácias e as inobservâncias Refrain from risks and non-observances

Posted in Portuguese

O Novo Normal Existe?

Description in Portuguese of the course I wrote about earlier in English. Thanks to redditor teafvigoli for helping root out the errors.

People photo created by rawpixel.com - www.freepik.com
Red and Green Dyed Lockdown Hair Goes Back To The Office

Participei num curso online. O título era “O Novo Normal Existe?” e faz parte dum conjunto de cursos chamado “O Café Filosófico”. Experimentei um curso online português anteriormente mas saí quando entrei em pânico porque percebi que teria de falar!

Ora bem, gostei muito deste. A professora começou por mandar-nos escrever as nossas próprias respostas (no meu caso “O nosso novo normal é igual ao velho normal da Coreia do Sul” (porque já costumam de usar máscaras lá)

De sequida, havia três vídeos com outros pontos de vista e depois, o grupo partiu-se e todos nós participámos em discussão em grupos pequenos. Confesso que não compreendi verdadeiramente o terceiro (uma comédia brasileira) mas fiquei influenciado pelas opiniões dos outros participantes.

Um afirmou que a normalidade em si nem sequer existe. Isso é verdade até certo ponto: cada um tem uma vida única e a situação muda constantemente. Mas cá para mim, o normal é o que não nos faz exclamar de surpresa. A estação de ano muda, o tempo muda, o governo muda, mas permanecemos dentro do espectro do normal. Mas de vez em quando algo realmente imprevisto (tal como uma pandemia) acontece que nos perturba. Está tudo estranho, e neste momento reconhecemos a normalidade perdida. Mas passado um ano e meio, será que o esquisito tornar-se-á normal? Achava que sim mas uma mulher no meu subgrupo foi céptica.

Acabei por crer que o novo normal pode existir se quisermos. Ou seja a maioria de coisas vão voltar um dia ao normal mas aprendemos muito em termos de modos de trabalhar e de viver e somos capazes de manter uns aspectos do normal temporário nos nossos próprios novos normais pessoais.

Posted in Portuguese

O Jogo

A minha filha está a ensinar a mãe a jogar um jogo baseado na série The Walking Dead. No início ela era cética. Não gosta de jogos. Prefere ver a televisão mas acabou por aproveitar o diálogo.

Estão as duas sentadas no sofá, a mãe a tricotar e a filha a controlar o protagonista. Cada vez que ela precisa de tomar uma decisão, a mãe é que manda.
“Vamos matar o Ben” ela diz.
“Mais tarde mãe, teremos uma hipótese em breve. Agora precisamos de roubar esta bateria”
E assim por diante…

Posted in Portuguese

Um Trocadilho Inglês

A minha filha marcou uma consulta com a dentista ontem às duas e meia da tarde. Para nós, uma família que adora piadas (ou melhor dois de nós adoramos), este facto é mesmo engraçado porque em inglês, “as duas e meia” (two thirty) soa igual a “dorzinha de dente” (tooth hurty).
“two thirty” diz a macaquinha
“sim” respondo eu
“tenho de ir ao dentista” diz ela
“ah ah ah ah” respondo eu.
Coitadinha da mãe.

Posted in Portuguese

Riquerolices

Today’s text is a bit of an odd one, following a train of thought from the last one. Thanks to Butt_roidholds for the corrections. I made a lot of silly mistakes in this text but there are some notes about the non-silly ones at the bottom.

O amor não nos é desconhecido*
Conheces as regras e eu também
Um compromisso completo é aquilo de que estou à procura
Não receberias isto de outro gajo qualquer

So quero explicar-te como me sinto
Tenho de te fazer entender

Nunca vou desistir de ti
Nunca te vou desiludir
Nunca vou andar às voltas e abandonar-te
Nunca te vou fazer chorrar
Nunca me vou despedir**
Nunca vou mentir e magoar-te

*=”We’re no strangers to love” just doesn’t work in Portuguese. “Love isn’t unknown to us” is better.

**=nunca vou dizer adeus Would have been more idiomatic (and literal) but this is a verb I keep forgetting about so I wanted to crowbar it in.

Posted in English, Portuguese

Piadas de Tiozão

Apparently piadas de tiozão (“big uncle jokes) are what Brazilians call dad jokes. Older subscribers who have endured three or more years of this blog (I raise a glass of Licor de Beirão in your honour) may remember that the European equivalent is “Piada Seca

I inflicted two in the world today.

Como se chama um cantor que tem muita sede?

Justin Beber

Como se chama um cantor que tem um leque e um tambor?

Justin Tamborleque

Posted in Portuguese

Uma Dádiva de Células da Medula Óssea

This text was written about a news story. Actually I can see I got some details wrong but hey ho, I’m learning Portuguese, not writing a column in the Telegraph, so my fact checking department is limited. Dani Morgenstern corrected it (thanks!) and gave me some good tips which I have added as footnotes at the bottom

Escrevi uma anedota* ontem sobre a minha dádiva de sangue (uma operação fácil que praticamente não doi de todo) mas hoje ouvi uma notícia de alguém que fez um sacrifício heróico.

O Sam Astley é um adepto da seleção inglesa que se tinha registado no rol de voluntários que oferecem células da Medula Óssea para quem precise de tratamento contra a leucemia. No dia antes do jogo o serviço nacional de saúde contactou o senhor Astley para informá-lo de que havia alguém com o mesmo tipo de tecidos, portanto ele deveria ir ao hospital para doar células naquele mesmo dia e entrar em cirurgia porque senão o doente morreria.

Ficou ligeiramente chateado pela coincidência de datas, claro, mas não havia hipótese** de recusar. Aceitou sem hesitação.

O Sam e a sua namorada foram entrevistada na televisão. A namorada disse que ela o admirava e o considerava um herói por causa do seu sacrifício. O apresentador concordou e eu também. Mas o Sam não se quis vangloriar. Respondeu que “Não sou eu o herói. Eu fiz isto num dia só, mas a minha namorada é enfermeira. Ela salva vidas dia após dia.”

E eu pensei “OMG 😭” ou seja, como se diz em português “OMD 😭”

O casal recebeu*** dois**** bilhetes para a final da competição. Merecem.

We're no strangers to love
You know the rules and so do I
Need a bone marrow transplant? Nobody with this surname is going to give you up or let you down.

*=I’m stubbornly resisting correction on this one. It was s suggested I change it to “piada” (joke) but I feel like the text I wrote about the blood donation was more of an anecdote and the Portuguese word has roughly the same meaning in Portuguese (“Pequena narração ou dito que provoca ou pretende provocar o riso” – Priberam) although I notice that piada is given as a synonym for anedota so maybe the two concepts aren’t as distinct in PT… Hm… Maybe time for a follow-up question. Watch this space.

**=I put “não havia questão” but I don’t think that sense of question works in Portuguese. Não havia hipótese seems to be the right option

***=recebeu (received) sounds a bit off in English, but the English equivalent “they were given” (foi dados) doesn’t work in Portuguese, so recebeu it is.

****= I used “um par” (a pair) but this isn’t commonly used in place of English words like couple, pair. If you mean two, say two!

Posted in Portuguese

Uma Dádiva de Sangue

This text about blood donation and the football has now been corrected by ThisCatIsConfused (thank you!)

Fui ontem a um centro de dádivas de sangue. Eu fiz o agendamento anteontem, e fiquei surpreendido porque normalmente não se pode agendar uma consulta sem 2 ou 3 semanas de antecedência. Hm.. Que estranho. Porque é que há tantas vagas no calendário do centro?
Ora bem, tornou-se óbvio depois do enfermeiro me ter furado o braço*

“Então… O senhor vai ver o jogo de Inglaterra hoje à noite?” disse ele
“Provavelmente” respondi.
“Boa. Mas não te esquece que não se pode beber álcool durante as próximas 24 horas”
Aaahhhh! É por isso que ninguém quer doar sangue hoje!

Acho que sou a primeira pessoa na história do mundo que disse a seguinte frase:
“Não se rale. Não vou beber. Sou escocês.”

*=i really stretched myself with the grammar of this sentence and although I didn’t get it all right, it was close enough.