Posted in Portuguese

As férias

IMG_20180727_154112_196Estou no Algarve com a minha família. Estamos aqui desde a segunda feira e partimos hoje à noite. Durante esta semana tenho tido muitas oportunidades de falar com os habitantes e torna-se cada vez mais óbvio que a minha linguagem melhora ao longo do dia. A empregada do pequeno almoço há-de achar que sou um idiota porque sempre falei com ela antes de beber o primeiro café do dia e mal me lembro como dizer “bom dia”. Porém, à empregada de jantar, já estou tão fluente quanto um fadista porque passei o dia inteiro a falar com portugueses nas praias e lojas.

Posted in English

Back to London 

We were up at the crack of dawn today to get home. I went all the way back with my knuckles clenched white as the plane juddered and shook and banked and the stewards disappeared behind a curtain and made noises like they were battling against a group of armed terrorists.

When I got home I found this bundle of goodies from iTalki waiting for me, as prizes for the Olympic challenge yonks ago. Now I’m just fondling my new books and going through the corrections from the texts I wrote while I was away. Ugh! No matter how many lessons I take, I never seem to learn.

Posted in Portuguese

Férias Dia 1: O Medo de Voar

Saímos de casa ao meio-dia para chegar ao aeroporto (Gatwick) às 14 horas. As regras para entrar no avião são muito mais complicados do que no meu voo mais recente. Aquele foi nos anos noventa, antes do ataque por terroristas muçulmanos em Nova Iorque.

Ora, confesso que tenho medo de voar. É por esta razão que a minha filha já não visitou a terra da mãe. Mas vem um dia em que todos devemos de dizer “tenho medo, mas vou fazê-lo apesar disso” e para mim, hoje foi o dia.

O voo correu bastante bem. O meu doutor deu-me quatro comprimidos para a ansiedade – dois para ir, dois para voltar, mas apenas tomei um e acho que teria sido capaz de não usar nenhum. Vi um filme e tentei dormir com um bocadinho de sucesso! Senti-me preocupado durante a turbulência, mas não entrei em pânico.

Quando aterramos já era tarde. Os restaurantes estavam fechados, com excepção do “Burger Ranch”. Comprei três hambúrgueres nojentos e três latas de sumol e levei-os para casa. Comemos algo e deitamo-nos cedo com antecipação, de sonhar por melhor pequeno-almoço.