Posted in Portuguese

A Viagem Para O Faro

Uff… Only 6 days left till the exam and I am really not feeling confident at all. Since the last exam included a question about visiting Portugal I have been rehearsing stuff to say about that. I have already written about Lisbon (this year) and Porto (next year) so here’s one about going to the Algarve a few years back

Antes do nascimento da Olivia, a minha esposa Catarina e eu fomos de férias para o Algarve. Naquela altura, eu quase não falava português e por isso não falei muito com a excepção de “por favor”, “Obrigado”, “Quanto é” e frases curtas deste tipo, do guia turístico. Passámos a maioria da semana na praia, a apanhar banhos de sol, e a nadar no mar e por isso confesso que não experimentei muito a cultura portuguesa.
O voo de volta a Inglaterra foi assustador. Fiquei a ter mais medo de voar de ano para ano, e naquele voo, não consegui aguentar. Tinha dores de barriga, estava tonto… Em suma senti-me terrível. Quando chegámos estava feito ao bife. É por isso que passei tantos anos (quatorze ou quinze) sem voar!

Posted in Portuguese

As Minhas Viagens no Espaço

tombaker
Não escutes as pessoas novas: isto é o verdadeiro Doutor

Alguém pediu-me para lhe contar uma história sobre uma viagem que querias de fazer”. Mas os fãs dos meus textos (sem dúvida há muitos!) sabem que tenho medo de voar e por isso não me apetece* fazer uma viagem de avião. Preferia fazer uma viagem para uma outro planeta de TARDIS com o meu herói “O Doutor”, do programa “Doctor Who”, protagonizado por Tom Baker.
-Mas o Senhor Colin – ouso-vos perguntar – isso é uma coisa estranha. Porque é que estais assustado em voar num avião mas não num TARDIS?
A resposta é siples. O TARDIS é o meio de transporte mais seguro no mundo. Ninguém nunca morreu num acidente de TARDIS. Isso _nunca_ aconteceu! Tenho de reconhecer que a minha viagem não seria 100% segura. Por exemplo, tendo chegado a uma planeta, teria um risco elevado de ser exterminado por alienígenas hostis, mas não me importo**. Ao menos evitaria os aviões.

*=I had apetecer mentally tagged as meaning “to feel like” as in “I don’t feel like going on a plane” but it’s reflexive so I guess cognate with “appeal” or “appetite”. “Não me apetece” (It doesn’t appeal to me) rather than “não apeteço” (I don’t appeal it)

**=Another surprising reflexive. I used this in the third person. thinking Não me importa=”It doesn’t matter to me” but it has to be in the first person: “Não me importo” = “I don’t find it important” or “I don’t care”

Posted in Portuguese

Férias Dia 1: O Medo de Voar

Saímos de casa ao meio-dia para chegar ao aeroporto (Gatwick) às 14 horas. As regras para entrar no avião são muito mais complicados do que no meu voo mais recente. Aquele foi nos anos noventa, antes do ataque por terroristas muçulmanos em Nova Iorque.

Ora, confesso que tenho medo de voar. É por esta razão que a minha filha já não visitou a terra da mãe. Mas vem um dia em que todos devemos de dizer “tenho medo, mas vou fazê-lo apesar disso” e para mim, hoje foi o dia.

O voo correu bastante bem. O meu doutor deu-me quatro comprimidos para a ansiedade – dois para ir, dois para voltar, mas apenas tomei um e acho que teria sido capaz de não usar nenhum. Vi um filme e tentei dormir com um bocadinho de sucesso! Senti-me preocupado durante a turbulência, mas não entrei em pânico.

Quando aterramos já era tarde. Os restaurantes estavam fechados, com excepção do “Burger Ranch”. Comprei três hambúrgueres nojentos e três latas de sumol e levei-os para casa. Comemos algo e deitamo-nos cedo com antecipação, de sonhar por melhor pequeno-almoço.