Posted in Portuguese

Não Tenho Rodas

Recentemente, passei 4 dias fora de casa a trabalhar num outro bairro de Londres. Tinha que terminar um projecto. Foi difícil, mas fiquei muito feliz por ter esta tarefa atrás das costas finalmente. Enquanto que lá estive, comi em restaurantes e deitei-me tarde. O festival da Canção aconteceu e vi-o no televisão.

Depois, voltei para casa. Senti-me muito aliviado. Mas quando passei pela garagem, fiquei chocado. A bicicleta tinha desaparecido e a fechadura estava partida no chão! Tinha ficado ausente por quatro dias e portanto não sabia quando alguém a roubou. Infelizmente, hoje em dia, os ladrões de bicicletas são organizados. Perdi muitas bicicletas na minha vida. Talvez dez e apenas recuperei duas. Às vezes foi a minha própria falta por não prestar atenção à segurança mas noutras – incluindo neste caso – alguém entrou na garagem e forçou a fechadura com ferramentas especializadas.

*suspiro*

E agora vem a pena duma vítima: as viagens a pé, o aborrecimento de pedir um reembolso da companhia de seguros. Às vezes, pá, digo-te, acho que na Arábia Saudita têm leis justas. Cortam os seus mãos. Cortam os seus pés. Cortam as suas cabeças. Continuam a cortar até os ladrões não terem mais nada com que fazer delitos*.

 

*=I actually wrote this last bit in the imperativo “Corte os seus mãos!” channeling the spirit of Mel Smith and Pamela Stephenson (“Cut off their Goolies!”) but my teacher altered it to “they cut off …” which I think sounds weaker but I was too much of a milksop to dispute it.

Posted in Portuguese

Ciclovias 

#UNCORRECTEDPORTUGUESEKLAXON

Li uma notícia hoje sobre o PSD (Partido Social Democrata) que queixou da câmara municipal de Lisboa. Conforme do PSD, eles construíram demasiadas ciclovias e quase nenhuma ciclistas usam-nas.

Conheço bem está acusação. É a mesma queixa usada por condutores em toda parte. Não gostam a mudança da cidade numa época de aquecimento global. Preferem os seus carros e receiam o futuro. Não preocupo-me com eles. A sua página de Facebook afirma “não é sobre bicicletas, é sobre prioridades”. Mas para mim, pareceu que foi sobre bicicletas… 

Suponho o PSD preferiria gasta dinheiro em mais caminhos para Ferraris e para burros*.
*=uma piada… 

Posted in Portuguese

A Bicicleta

[Uncorrected Portuguese Klaxon]

Percebi que o website Cycling Fallacies (“As Falácias Sobre A Bicicleta”) tem sido traduzido ao Português e tinha a motivação a fazer alguma coisa que estava a planear desde o mês passado: classificar e rotular as peças de uma bicicleta para ensinar-me algum vocabulário útil.

bicicleta

Nesta imagem, utilizei o vocabulário especifico a Portugal da Pagina Wikipedia Português, acrescentado pelas palavras da Loja Das Bicicletas. A imagem está diminuída por o blogue mas espero que possa lê-lo.

Posted in Portuguese

O Sistema de Transporte Em Lisboa

Hoje li este artigo no website do jornal Portugues “Publico”
http://p3.publico.pt/actualidade/ambiente/20282/rede-de-metro-alargada-e-seis-mil-novas-bicicletas-nas-cidades

O artigo afirma que tanto Lisboa como Londres vão aumentar o seu sistema de transportes. Especificamente, o governo decidiu alargar as redes do Metropolitano e promover outras formas de transportes, incluindo veículos eléctricos e “car-sharing” (no que os trabalhadores que conduzem até ao local de trabalho dão uma boleia uns aos outros e por isso usam um carro em vez de três ou quatro) para melhorar o ar e reduzir níveis de dióxido de carbono e outros poluentes desagradáveis.
Além disso, a coisa que mais me interessa é onde o artigo menciona a intenção de melhorar as condições para o uso de bicicletas. Como muitas cidades no mundo desenvolvido, Lisboa reconhecer o problema de der demasiados automóveis nas ruas. Esta situação é prejudicial para o ambiente e para a saúde pública, e pode atrasar o crescimento da economia local por causa de impedir do movimento livre dos trabalhadores entre a sua casa e o seu emprego. 350px-Metro_Lisboa_with_suburban_railway_lines

Mas infelizmente, como
mostrado por a experiência em Londres, marcar um novo caminho de bicicleta com tinta azul não basta. Se a gente não nos sentimos seguros para dar uma passeio de bicicleta, não vamos usá-las. É importante fazer caminhos segregados, e considerar o desenho de todo o sistema de transportes na cidade, para criar um ambiente onde todos os utentes da estrada possam viajar em segurança.

Espero que estas medidas deem certo e melhorarem as condições nas cidades mais importantes de Portugal

Thanks Sophia, Rubens and Bruna for helping me with corrections when this appeared on iTalki.