Posted in Portuguese

BRK – Filipe Pina e Filipe Andrade

BRK
BRK… SMH

Por que raios comprei este livro? Já sabia antes de comprar o primeiro tomo (lançado em 2007) que aina não existe a segunda parte, portanto eu provavelmente nunca saberia como se desenrola a história, mas ouvi falar do livro numa lista do “Top 15” de BD* portuguesas (https://vinheta2020.blogspot.com/2020/10/top-15-as-melhores-bds-portuguesas-de.html?m=1) o BRK vinha em segundo lugar, antes das aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy e depois d’A Balada para Sophie. Então, vale a pena? Não vale. Os desenhos têm graça mas não são consistentes**. A história não faz sentido. Há buracos no enredo do tamanho do Poço Iniciático. Precisa de mais esforço para concretizar a história como deve ser e depois, desenhar o resto da saga!

* Acronyms don’t get pluralised. One BD, Two BD

** This correction surprised me, I suppose because i think of two things being consistent together as a single system, if you see what i mean, so I didn’t see the adjective as needing to be pluralised. Anglophone thinking.

Posted in English

Portuguese Graphic Novels

I had been putting together a list of Portuguese Graphic Novels for a while and it’s not quite finished yet but someone just asked a question about it so I’ve gone ahead and published it in draft form along with the other resources. If you’re looking at this on a computer it’ll probably be over on the right, and if you’re on a phone screen, you’ll probably need to scroll down a bit. Or just click here.

The plot thickens though because after I published it I saw a reply from another Redditor (is that what you call them?) with this link to a list of the supposed fifteen best. Some are on my list too, and some I don’t know. I’ve no idea why they have Caos e Ordem on there. I liked the look of that too but it’s a huge disappointment.

Posted in Portuguese

O Futuro Tem 100 Anos

Esta BD foi lançado para comemorar o centenário da CUF, uma empresa que (nas suas próprias palavras) trouxe a revolução industrial para Portugal on 1908. A história é contada do ponto de vista de uma mulher de 2008, que é a bisneta dum engenheiro francês, um empregado da empresa. Até certo ponto, esta decisão, faz todo o sentido porque o leitor pode ver as ligações entre o mundo de hoje e os eventos do passado. Mas… Para mim, os autores focam demais na protagonista (que é jovem, bonita, mais fácil no olho do que o bisavô dela!) e por isso não temos um entendimento nítido do crescimento da empresa, o impacto dela na vida do país, os raízes dos problemas laborais (tal como a greve), e a evolução da empresa desde o século XX até agora (acredito que se trata de um rede de hospitais hoje em dia não é?)
Ainda por cima o arte não é assim tão incrivel.
Meh. Interessante mas não passa de ser um panfleto de publicidade. 3 estrelas.

Posted in Portuguese

Os Vampiros

30301337Este livro é uma banda desenhada* que fala dum grupo de soldados no exército português, destacados numa missão no Senegal, numa manobra contra os rebeldes nos últimos meses da Guerra Colonial na Guiné. Enquanto que penetram** cada vez mais selva a dentro***, os seus medo e cansaço acrescentam, até atingirem um estado de paranóia. Existem vários episódios que proporcionam alívios cómicos, misturadas com horror. Por exemplo, um soldado raso**** se vangloria da sua grande sorte e imediatamente depois – ele pisa numa mina.
Quase nunca vemos o verdadeiro inimigo – os monstros, pálidos e magros, que se escondem na escuridão. Já têm matado os rebeldes. Enfim, a história é um pouco esquisita. Não segue o caminho dum argumento num livro de vampiros. O medo e as relações entre os soldados são os destaques da história.

*=Apparently this is only a Portuguese expression. In Brazil it’s “Estória em quadrinhos”. Cómico is also used in Portugal, but maybe banda desenhada is equivalent to “graphic novel”? At least, booktubers I watch use BD in preference to Cómico.

**=I used “aprofundam” but meaning “they go deeper [into the jungle]” but Mrs L says you can’t talk about depth in this way, only if you are actually literally plunging down into a pool or a hole or something. It can also be used for feelings getting deeper though.

***=Not “dentro da selva”. This is how you say “into the heart of the jungle”, as counter-intuitive as it seems!

****=I originally wrote “Privado” here. As I explained to a confused Brasileiro: “…a palavra “privado” foi uma tradução da palavra inglesa “private” que significa (no reino unido ou nos estados unidos) um soldado do primeiro… hm… não sei como dizer…. ao fundo da hierarquia? Faz sentido? Um soldado novo o que ainda não passou a sargento. Claro que não é a palavra certa em português mas existe um equivalente? Percebo que andas a estudar inglês também. Espero que o meu erro ajudaras-te aprender!” The Portuguese military hierarchy can be found here if you are interested.