Posted in Portuguese

Scarecrow

Text with corrections from Dani Morgenstern. Notes at the bottom

Isto é uma tradução duma explicação ao lado de um quadro da exposição da qual eu falei ontem

O Espantalho
Litografia

Paula Rego tomou inspiração do dramaturgo Martin MacDonald. Na perspectiva dela “[…] a peça de teatro mexe* com religião… E a menina que queria ser Jesus… Que tinha muito a ver com o tema português também.” Esta litografia pode também representar a natureza paradoxal das consequências das nossas acções dentro dos nossos assuntos infelizes.
O Espantalho não é uma representação directa duma das cenas mais macabras da peça mas, com a sua imagem central dominadora dum espantalho crucificado, refere-se àquela parte da peça na qual a menina certinha, que faz sempre boas acções como se quisesse ser Jesus, perde os pais por causa dum acidente pelo qual, em** última análise, ela é que é culpada.
Ela é transferida para uns pais adoptivos sádicos*** que a tormentam com uma coroa de espinhos, uma chicotada e um cruz de madeira que ela tem de carregar (ela tem apenas 6 anos). Eles a perguntam se ou não ela quer ser Jesus e quando ela responde que sim, pregam-na ao cruz e voltam a perguntar se ou não ainda quer ser Jesus. A esta questão ela responda “Não, não *quero* ser Jesus, sou Jesus mesmo, caralho!” portanto, enfiam uma lança nas costas dela e o resto da história da crucificação desenrola-se no palco como antes.

*=hum… Na minha opinião “meddles with religion” não está bem traduzido porque ninguém fala assim em inglês. Julgo que é tradução de “mexer com” e não “interferir em”, e deve ser “touches on” em inglês, mas não faço ideia propriamente porque não li/ouvi as palavras originais da artista.

** =”em” not “na”. I was literally translating “in the final analysis” but it doesn’t need the article.

***=not “sadisticos”

Posted in English

More About Paula

If you’re in London and want to learn more about Paula Rego, I can’t really recommend the exhibition I went to for the reasons I mentioned in the post: it’s a pain to get into and not a great seeing. But there’s a big retrospective of her work at the Tate starting later this month so if you can make it to that it’ll be well worth your while. It’s really intense.

Click here to go to the Tate Gallery site.

Posted in Portuguese

Paua Rego and her Contemporaries

Here’s a text describing my visit to this exhibition in London. Butt_roidholds gave me some really detailed corrections and I’ve written the most instructive ones in footnotes at the bottom.

Fui ontem ao* Europe House (um prédio em Londres que pertence ao parlamento europeu) para ver uma exibição de arte chamada “Paula Rego and her Contemporaries”. Consiste numa coleção de obras de três artistas portugueses que moram/moraram no Reino Unido.

Ana Palma

Ana Palma faz arte sobre a temática** da feminilidade*** e do corpo feminino. O estilo dela lembra-me de… Sei lá… De ilustrações num livro sobre a natureza: corpos e rostos com tons de aguarela e lápis**** coloridos, sobreposições de diagramas biológicos (esqueletos, órgãos) e outros animais (principalmente besouros).

Um Desenho de Ana Palma

Cliff Andrade

O que mais me agarrou na secção de Cliff Andrade foi “A Tale of Two Madeira Cakes”. A obra consiste numa mesa com um bolo de mel (um bolo madeirense) e uma peça de Madeira Cake (um bolo inglês que antigamente foi bebido com vinho daquela ilha) e várias coisas quotidianas do dia a dia em Inglaterra e em Portugal. Fez-me rir porque algumas coisas (uma caneca do casamento real, uma outra dos “flopsy bunnies” , e hum… Uma garrafa de uísque escondida sob a cadeira por algum motivo!) existiam na minha casa quando era jovem em Preston mas hoje em dia estou casado com uma madeirense. É mesmo um crossover episode das nossas vidas nos anos 80!

A Mesa de Cliff Andrade

Paula Rego

E finalmente… Fico sem palavras para descrever os desenhos da terceira artista, Paula Rego. É incrível. Ela é a mais conhecida dos três artistas e quando vi os quadros, soube instantaneamente porquê!

Scarecrow by Paula Rego

Que pena que o sítio onde foram expostos era pouco acolhedor. Um visitante de cada vez, muito barulho, segurança rigorosa na entrada… Mas vale a pena apesar de tudo isto. Haverá uma exibição de obras da PR daqui a pouco na Galeria Tate mas sou hipster e não quero ir com os turistas onde está tudo fácil e conveniente!

*=As so often, I made the mistake of using “para”. Ir+para is used for permanent or long term moves. As this is just a quick visit it’s ir+a.

**=temática is better than tema because tema is one of those annoying words that’s masculine even though it ends in an a.

***=I’d expect this to be “femininidade” because -dade endings até usually cognate with the same word in English with a -ty ending like “eternidade” and “liberdade” but in this case its slightly different.

****=the plural of lápis is lápis

Posted in Portuguese

Bordalo ii

Bordalo Segundo é um artista plástico – literalmente! Faz esculturas de animais com materiais do lixo e principalmente, trabalha com plásticos de alta densidade, como cadeiras, caixas e embalagens. Se visitares Lisboa, é provável que vejas algumas obras dele: um texugo, uma abelha ou um macaco, fixado ao lado de uma loja ou uma casa. Talvez a sua obra-prima seja o lince ibérica no Parque das Nações. É muito fixe! Mas a sua arte tem uma mensagem também: convém lembrarmo-nos que toneladas deste tipo de lixo estão a ser deitadas fora dia após dia e se não se torna arte, torna-se poluição.