Posted in English

Orphans of Marx

“Órfãos de Marx” from “É Tudo Uma Questão de Tempo” by José Jorge Letria

Orphans of Marx

(Roughly translated on the train)

We had never read Marx

But we talked as if we were heirs

Of the old German jew who wrote in London

The general theory of that vast utopia

That would finally make us

Fighters for the most generous of illusions:

The transformation of the world

In the end, what did we transform?

We believed that the books,

The murals and the closed fists

Opened doors to a better age.

Many gave up, others wound up owing to

Marxism the shattering revelation

Of their first great passion, fleeting and suffocating.

Sometimes we sat on the benches

Of the avenue named after Liberty

Drunk on dreams and purpose

And we even proselytised the sparrows and pigeons

For our romantic struggle.

And we discovered that among us

Were scoundrels and even worse,

Because its not the quality of the belief

That makes the quality of the believer

Now that my second grandchild

Is on the way and the first

Has the most beautiful smile in the world

I can’t shake off the mournful question:

Where did we go wrong? Who failed in our name?

What will I have to say to them

When they ask me: grandpa, was it you

In this picture, trying to change the world?

If I knew now where old Marx

Ended up, I would want to know

If it’s possible to reach happiness

Through the class struggle.

Posted in Portuguese

Notes Towards a Video

Durante o verão, fiz parte da maratona Book Bingo Leituras ao Sol. Durante a maratona, gravei 3 vídeos mas infelizmente apenas lancei dois porque nunca tive tempo para editar o terceiro. Este é um resumo da maratona inteira. Obrigado à Tita e a Isa por terem lançado o tag. Eu sei que todo o mundo gravou vídeos há semanas – a Mafalda, Bea de Beabooks, Dora, Hugo, Várias outras pessoas, mas…. mais vale tarde do que nunca.

Escolhi 16 livros, um de cada categoria mas acabei por ler 14. Os dois restantes são “A Brevíssima Historia de Portugal” e “O Verão Selvagem dos teus Olhos. Durante o mesmo tempo, também li vários outros livros tal como “12 Segredos da Língua Portuguesa” e “The Growing Pains of Adrian Mole”.

Não vou descrever todos os livros porque este livro durava 6 horas. Para quem quiser saber mais, vou deixar um link a minha lista do Goodreads lá em baixo. Contudo, eis os meus 3 melhores e 3 piores:

Melhores

O Banqueiro Anarquista – Este livro é o meu primeiro de Fernando Pessoa – ou seja o meu primeiro na língua portuguesa, porque já li uma coleção de poemas traduzidos para inglês. E muito mais engraçado do que esperava. O banqueiro conta a história da sua vida e os raciocínios que resultaram no seu modo de viver actual que é igualzinho como a vida dum burguês. O contraste entre os seus objectivos supostamente radicais e os resultado deste processo de auto-justificação é mesmo divertido. Nao é um livro deles que faz o leitor soltar 5 gargalhadas por página, mas a ironia cresce de página para página.

Reaccionário com Dois Cês – Eu tinha lido um outro livro de Ricardo Araújo Pereira e gostei. Parece um homem inteligente e engraçado. O livro é uma coleção de textos publicados inicialmente na revista “Visão”.

O Retorno – Reaccionário com Dois Cês e O Retorno foram publicados pela mesma editora “Tinta de China”, que sempre faz livros de muito alta qualidade, mas como podem ver, este coitadinho veio comigo de ferias, na praia, na mochila, no bolso dos meus calções… e por isso é estragado com folhas soltas e uma capa danificada  tudo. Mas a historia é óptimo. Ouvi a autora num podcast. Foi um episódio de “Pessoal e Transmissível” de Janeiro 2010. Naquela altura ela estava a escrever este livro, e falou sobre a sua própria experiência como menina no final da época colonial e como uma retornada. A minha esposa pertence à mesma geração de portugueses do ultramar.

Piores

Asteroid Fighters – Já falei sobre este livro num outro video. É uma banda desenhada mas fiquei desiludido pela baixa qualidade da arte e a falta de personagens desenvolvidas. Também achei que o escritor não conseguia decidir se o livro seria uma comédia ou se seria um historia de super-heróis. O único factor que me salvou foi o facto que o livro é misericordiosamente fino.

Contos – Isso não é propriamente uma queixa, porque a culpa é minha, mas não entendi este audiolivro. Quando leio um livro, se não conheço uma palavra, ou se demoro um pouco para entender algo, posso retornar a frase, reler, pegar no dicionário, mas um oiço audiolivros enquanto estou a regar as plantas, ou a fazer costura, ou a correr. Nestas situações, não há oportunidade de pausar. Portanto, perco o enredo, e em breve torno-me aborrecido que faca tudo ainda pior. Enfim, se bem que tenha ouvido cada conto duas ou três vezes, não entendi o suficiente para dar uma opinião. Se calhar, no futuro, experimento novamente e espero que tenha mais sorte!

Mais Nada – O poço de reclamações já está esgotado. Os outros livros foram todos

 

Posted in English

It’s Not An Eric Clapton Song

Favourite word of the day: “Leiloeiro” – auctioneer. It came up with my Brazilian language partner when we were discussing that Banksy stunt at the auction (o leilão). As it turns out, Shredded is a very difficult word to say if you’re Brazilian.

It was a welcome relief from politics. We’d just done Brexit (during which he discovered that we British have over 300 was of saying “completely buggered”) and Bolsonaro (he’s a fan, gawdelpus)

Anyway, for a bit of light relief – I did a consoante perdido on twitter today so here it is:

Faustus, you have dominion over all powers and cities of the world. Fair Helen of Troy is your wife. The time has come to fulfill your sacred obligation: help me create an aquatic bird.

OK, sure, I’ll make a [pato=duck/pacto=pact] with the devil.

Not sure how well it works. I was a bit worried the spelling of pacto would have changed due to the AO, meaning they’d be um… Homonyms… Do I mean Homonyms? I think I do. Luckily the Brazilians seem to have see sense this time.

Posted in Portuguese

Let’s (Not) Go To Work

21c-busy-town
Busy Busy World 21st Century (by Tom the Dancing Bug here)

The portuguese outsourcing company got back in touch about a gig they wanted me for. I’d decided it wasn’t going to be possible currently. As I think I mentioned, the salary for the job is very low indeed. It wouldn’t even cover the mortgage and service charge on the flat we’re in. I actually wouldn’t mind working for a lower wage provided we could still make ends meet. but at the moment, unfortunately, we can’t. As a result, I’ve suggested they keep my details on file and maybe after my next project, with a bit of money in the bank, maybe my wife back in work, it might be possible to do a gig with them for a few months and make some contacts, learn some things.

Anonymised text of the email below (#uncorrectedportugueseklaxon)

Obrigado por terem respondido. Pensei muito nisso depois da nossa conversa. Embora fico mesmo muito entusiasmado da hipótese de trabalhar com o Acme Widgets, acho que seria difícil nesta altura mesma por causa da nossa situação familiar: estando ainda cá em Londres e sem um segundo salário para aumentar o meu, pode ser difícil sustentar o custo dum apartamento em Londres. Peço imenso desculpa por não ter apercebido mais cedo que isso seria um problema.

Já que têm os meus informações, importam-se se suspendêssemos este processo até mais tarde? Dado que a empresa funciona como uma agência, eu gostaria ficar com o seu email e, no futuro, entrar em contacto quando as coisas mudam. Adivinho que depois de mais um projeto aqui, a minha mulher vai ter um emprego também. Claro o futuro é incerto e ninguém sabe se o Brexit vai tornar tudo mais fácil ou (mais provável), difícil… suspiro… mas oxalá não seja impossível! Quem sabe, podemos até estar a viver la naquela altura!

Que acham? Vale a pena adiar a minha candidatura e entrarei em contacto numa certa altura em 2019?

Posted in English

Well That Was Painless

Well the job interview went OK I think. She suggested we just do half portuguese (I didn’t time it – but suspect substantially less than half actually…) and it’s just a preliminary interview so no job offer but she has passed my details along to colleagues with access to the companiy’s external clients in the cities where they operate so they can decide whether my skills are a match for their needs. And again I declare not-being-laughed-out-of-the-room as a kind of moral victory!

The salary though, fam! I expected it to be much lower than UK, and especially UK consultant day rates of course, I’m not an idiot, but the monthly rate is substantially lower than I earn in a week doing the same job as a freelancer in the UK. Ouch. So it’ll need some thinking through, depending on other things like whether my wife gets a job and so on, but it’s looking like it might be a hard transition to make, even temporarily… I’d love to do it for a while, I’d luuuurrrve to, but…

Posted in Portuguese

A Entrevista

Warm-up text, written on iTalki shortly before the interview with the tech company in Portugal to get my brain going…

Amigos Portugueses, algo esquisito e surpreendente aconteceu: uma empresa convidou-me a uma entrevista de emprego. Isso propriamente não é assim tão estranho, porque sou bastante competente na minha área de especialização, mas neste caso, a empresa fica no Porto. É uma empresa de tecnologia informática e ao que parece tem muitos empregados que falam inglês. Não vou ter de encarar clientes e por isso espero que a minha falta de conhecimento da língua portuguesa não seja uma grande desvantagem, mas apesar disso, fiquei muito surpreendido quando recebi o convite, e ainda mais surpreendido quando ela não se riu ou como terminou a telefonema quando ela me ligou para combinar o encontro, mas ainda bem, porque a entrevista começa daqui a uma hora!
Se eles aceitassem a minha candidatura, mudar-me-ia para Portugal, alugaria um apartamento lá e visitaria a família aos fins de semana. Soa horrível, mas… No curto prazo, o objectivo é ganhar dupla cidadania, praticar a língua portuguesa e estabelecer a família no país. No longo prazo, depende do resultado de Brexit, porque somos uma família anglo-portuguesa. Se tudo se torna mais difícil para cidadãos portugueses, vale a pena ter um pé em cada país, mas não é provável (ou seja não é provável que coisas sejam pior para nós do que para os outros desgraçados que partilham uma ilha com Boris Johnson).
Enfim, seja o resultado o que for, a entrevista vai ser uma experiência interessante. Desejem-me sorte!

Thanks Paulo, Evandro, Leonardo e “WoLvS” for the help

Posted in English

Down And Out In Porto and London

I translated my CV into portuguese today to apply for a job in Porto. Long story, to do with Brexit and dual citizenship. TBH, it’s unlikely to happen (although not quite as unlikely as the job in Germany someone tried to get me onto last week), but I’m someone who believes in flying a lot of kites and seeing which one gets me electrocuted.

Anyway, it was very interesting and involved trawling through a lot of tech manuals looking for words specific to the tech niche I live in. Here are a few, which I think I’ll need to turn into a memrise deck at some point.

Base de dados (banco de dados in Brazil) Database
Código VB VB Code
Implementação Implementation
Depurar Debug
Sistema Informática Information system
Migração de dados Data migration
Integração de dados Data Integration
Requisitos da empresa Business requirements
Desenvolvedor Developer
Coordenar Coordinate
Sistema financeiro Financial system
Procedimentos armazenados Stored procedures
Relatório Report – also works for a BI (SQL) report.
Pasta Folder
Autarquia local Local authority
A equipa de limpar dados The data-cleansing team
Reestruturar Restructure
Tecnologia Informática (TI) Information Technology (IT)
Teletrabalho Remote Working
Rede Virtual Privada Virtual Private Network
No curto/longo prazo In the short/long term
Ofertas de Emprego Job offers
Posted in English, Portuguese

From Beneath You, It Debaixo

I get mixed up over the variants of prepositions so I’m going to lay them out in a tabular format and see if that helps

Trás Baixo Cima Frente
* Preposition: after Adjective: low, short Not really used on its own Noun: front
A- Atrás de = behind Abaixo: below, underneath Acima: above Afrente: não existe
A[ ] A trás: não existe A baixo: não existe A cima: não existe A frente: at the head of (and à frente: onward, ahead (of))
De Detrás: behind (specifically right behind) Debaixo: under, underneath Decima: não existe Defrente: não existe
De[ ] De trás: from  the back (movement) De baixo: from below De cima: Upper, from high up De frente: head on
Por Por trás: behind – at some place behind (less specific than “detrás”) Por baixo: below Por cima: On top, above, overhead Por frente: from the front
Para Para trás: to the back Para baixo: down, downward Para cima: Up, upwards Para frente: forwards
Por de… Por detrás: behind Por debaixo: beneath Por decima: não existe Por defrente: não existe
Em Em trás: não existe em baixo: down below (used a lot on youtube when inviting comments!) Em cima: On, above, up there Em frente: in front of (opposite – as opposed to )
And also… Anos atrás = years ago Abaixo also used for “down with…” as in “Abaixo o governo!” Ainda por cima = And on top of that (something else bad happened!) Daqui para a frente= henceforth
And also… De baixo can also mean bottom – “a gaveta de baixo”=bottom drawer De trás para a frente: backwards

Sources:

Linguee

Lusografias

Ciberdúvicas [por detrás] [Atrás] [a frente vs em frente]